Mato Grosso, Sábado, 19 de Setembro de 2020
Logo Só Informação
Informe Publicitário
TRAGÉDIA NO ALPHAVILLE

Justiça acata representação contra jovem que matou Isabele

Menor vai passar por uma audiência, segundo estabelece o Estatuto da Criança e do Adolescente

Da Redação

15/09/2020 às 19:31

Justiça acata representação contra jovem que matou Isabele
reprodução

 2ª Vara da Infância e Juventude de Cuiabá aceitou a representação criminal do Ministério Público Estadual contra a adolescente de 14 anos que atirou e matou Isabele Guimarães Ramos, também de 14, em julho, no Condomínio Alphaville.

O Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) determina que a autoridade judiciária designe uma audiência de apresentação do adolescente, decidindo, desde logo, sobre a decretação ou manutenção da internação em uma complexo socioeducativo.

Isabele foi morta no dia 12 de julho na casa da adolescente infratora, que era considerada sua melhor amiga. O disparo ocorreu dentro do banheiro de um dos quartos onde a menor que atirou mora.

Segundo o laudo da Politec e a conclusão do inquérito do MPE, o tiro foi dado intencionalmente e de dentro do banheiro, de maneira frontal, contrariando o depoimento da garota à Polícia Civil.

Segundo o ECA, caso a adolescente não seja localizada para se apresentar em juízo, “a autoridade judiciária expedirá mandado de busca e apreensão, determinando o sobrestamento do feito, até a efetiva apresentação”.

Inquérito concluído

O inquérito sobre a morte de Isabele foi finalizado cerca de 50 dias após sua morte.

A conclusão do inquérito da Polícia Civil foi apresentada em entrevista coletiva no dia 2 de setembro.

De acordo com o delegado Wagner Bassi, responsável pelas investigações, foi concluido que a amiga atirou na vítima de modo intencional, e por isso responde por ato infracional análogo a homicídio doloso.

“Para nós, essa conduta de apontar a arma para amiga, a gente acha que a conduta é dolosa, por no mínimo saber do risco. Ela era uma adolescente treinada e capacitada”, disse o delegado.