Geral

FILHAS E ESPOSA MORTAS ‘Ele me matou junto com elas’, diz homem que perdeu família em chacina

Foto Reprodução

Caminhoneiro Regivaldo Batista Cardoso, que perdeu a esposa Cleci Regis Cardoso e as três filhas de maneira brutal, mortas por um pedreiro, predador sexual, em Sorriso (420 km de Cuiabá), em novembro do ano passado, falou pela primeira vez sobre a tragédia que abalou não só o município, mas todo Mato Grosso.

Em entrevista ao SBT Comunidade nesta sexta-feira (19), o patriarca da família Cardoso contou sobre as últimas conversas com a família e o fim de semana de aflição sem contato com a esposa e filhas.

Após saber da chacina, ele disse que “morreu junto” com a família e que não tem mais sentido continuar vivo.

“Hoje eu morri junto com elas. Esse desgraçado acabou com minha vida também, me matou junto com elas. Eu vou viver para o que hoje? Qual o motivo que eu tenho para seguir, se não tenho elas mais?”, afirmou, bastante emocionado.

“Você não tem objetivo para trabalhar mais, eu vou e volto e não tem minha casa, não tem minha esposa, não tem minhas filhas. Que graça tem viver desse jeito? Qual o objetivo de viver desse jeito? Não tem”, acrescentou.

Regivaldo explicou que estava em uma viagem no Paraná no final de novembro. No dia 24, sexta-feira, ele chegou a falar para Cleci que faria mais dois fretes e que depois retornaria para casa. A esposa teria ficado chateado. Na madrugada de sábado (25), o criminoso, identificado como Gilberto Rodrigues dos Anjos, invadiu a casa e m

á no domingo (26), Regivaldo falou que tentou por várias vezes contato com a esposa, mas não conseguiu. “No domingo à noite, falei: vou mandar a polícia aí”, para ver se elas respondiam.

Na segunda, ainda sem contato com os familiares, o caminhoneiro resolveu ligar para amigos e até mesmo para a escola das filhas.

“Todo dia minha filha me mandava mensagem dizendo que estava entrando na escola. Eu liguei na escola e falaram que não tinham ido. Eu já estava sentido que algo estava acontecendo, porque quando estava mal, a Cleci me ligava. Liguei para minha sogra e ela também não tinha falado com ninguém”, contou.

Depois, ele acionou a polícia, que foi à residência e se deparou com a triste cena.

Por fim, Regisvaldo cobrou justiça pelo crime cometido e disse torcer que o assassino “pague pelo resto da vida”.

“Eu espero que [a justiça] seja rápida e que seja certa. Que esse cara nunca mais saia da cadeia, que ele pague para o resto da vida dele. É o que eu quero”, afirmou.

Relembre

A casa das vítimas foi invadida pelo pedreiro Gilberto Rodrigues dos Anjos, de 32 anos, que trabalhava na obra ao lado da residência da família.

A invasão aconteceu na noite do dia 24. O crime aconteceu entre a noite da invasão e a madrugada do dia 25.

A mãe, identificada como Cleci Calvi Cardoso e as duas filhas mais velhas, Milena Calvi Cardoso, 19, e Manuela Calvi Cardoso, 13, foram violentadas e tiveram seus pescoços cortados. Já Manuela Calvi Cardoso, de apenas dez anos, foi asfixiada até a morte, com o auxílio de um travesseiro.

Após o crime, o assassino voltou para o seu local de trabalho, como se nada tivesse acontecido.

Gustavo Castro

Olhar Direto

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias Relacionadas

Polícia

A Delegacia Especializada de Defesa dos Direitos da Mulher de Sinop concluiu o inquérito do feminicídio contra Maria Vitoria Nastacia Vieira, 20 anos, no...

Polícia

A equipe da Delegacia Especializada de Defesa da Mulher, Criança, Adolescente e Idoso de Sinop cumpriu, nesta quarta-feira (12.06), o mandado de prisão do...

Polícia

Um homem  foi encontrado morto na noite deste domingo em Sinop. Vítima estava caída na calçada de um motel na rua Colonizador Enio Pipino...

Geral

 Uma equipe de resgate do Corpo de Bombeiros de Alta Floresta, iniciou na manhã desta segunda-feira (03) buscas pelo corpo de um homem de...

Endereço: Rua Ema Klunk, 274 - Jardim Safira - Sinop/MT CEP:78.551-366 CNPJ: 37.095.341/0001-06 Razão Social: M. L. JORDAN LTDA Nome Fantasia: Site Só Informação

Sair da versão mobile