Polícia

Homem investigado por homicídio encomendado por facção criminosa é preso pela Polícia Civil

A Polícia Civil em Peixoto de Azevedo prendeu nesta segunda-feira (16.05) um homem investigado por cometer um homicídio, por encomenda, em razão de uma dívida no valor de R$ 3.000,00 com uma facção criminosa, no norte de Mato Grosso.

O homicídio ocorreu em 11 de setembro do ano passado. A vítima, Francisco Chagas dos Santos Silva Júnior, de 35 anos, foi morta na frente de uma casa de forró, no bairro Mãe de Deus. Ele foi atingido pelas costas e na região da nuca por disparos de arma de fogo de calibre .38 e morreu ainda no local.

O crime teria sido encomendado para quitar uma dívida que o suspeito tinha com a facção criminosa.

O mandado de prisão foi cumprido na divisa dos municípios de Peixoto de Azevedo e Matupá, depois do autor ficar foragido por cinco meses.

O delegado Geordan Fontenele explica que as investigações prosseguem para coletar mais informações e chegar à prisão de outros envolvidos no homicídio.

Após a formalização do mandado de prisão, o autor do homicídio será encaminhado à unidade prisional do município.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Notícias Relacionadas

Polícia

Policiais militares do 12º Batalhão prenderam três homens, nesta terça-feira (26.07), por porte irregular de arma de fogo, receptação e crimes contra o meio...

Polícia

Um suspeito de envolvimento com homicídio morreu após reagir a uma abordagem da Polícia Militar, nesta sexta-feira, na avenida Blumenau, em Sorriso. Segundo informado...

Polícia

A Polícia Civil, por meio da Delegacia de Alta Floresta, cumpriu nesta quinta-feira (14.07) ordens judiciais de prisão e busca e apreensão contra alvos...

Polícia

A Polícia Civil, por meio do Núcleo de Atendimento à Criança, Adolescente, Idoso e Mulher de Lucas do Rio Verde (354 km ao norte...

Endereço: Rua Ema Klunk, 274 - Jardim Safira - Sinop/MT CEP:78.551-366 CNPJ: 37.095.341/0001-06 Razão Social: M. L. JORDAN LTDA Nome Fantasia: Site Só Informação

Sair da versão mobile