Connect with us

Hi, what are you looking for?

01/07/2022

Judiciário

CASO SCHEIFER PM é condenado a 20 anos pelo homicídio de tenente do Bope

A Justiça Militar condenou o cabo da Polícia Militar Lucélio Gomes Jacinto a 20 anos de prisão por homicídio triplamente qualificado contra o tenente Carlos Henrique Scheifer, do Batalhão de Operações Especiais (Bope).

Os outros dois réus – o 3º sargento Joailton Lopes de Amorim e o soldado Werney Cavalcante Jovino – foram absolvidos.

O julgamento, presidido pelo juiz Marcos Faleiros da Silva, da 11ª Vara Criminal de Cuiabá, aconteceu durante todo o dia desta quinta-feira (24).

A condenação do cabo Jacinto ocorre cinco anos após a morte do 2° tenente Scheifer, que foi assassinado em maio de 2017 com um tiro de fuzil disparado pelo militar enquanto o Bope estava em operação contra o “Novo Cangaço”.

O militar poderá recorrer da sentença em liberdade.

A decisão do Conselho de Sentença, formado pelo juiz de Direito e quatro juízes militares, seguiu o pedido do MPE, que solicitou a absolvição dos demais policiais por insuficiência de provas que comprovassem que os dois tinham a intenção de matar o tenente Scheifer.

Já no caso de Jacinto, a promotora de Justiça Daniele Crema da Rocha defendeu a condenação do cabo argumentando que ele premeditou a morte da vítima para evitar que o tenente o denunciasse por desvio de conduta.

Segundo a denúncia do MPE, Scheifer teria discutido com Jacinto após ele matar um dos suspeitos de integrar o “Novo Cangaço” durante a operação no Distrito de União do Norte, em Peixoto de Azevedo.

O desentendimento ocorreu pouco antes da morte do tenente e a promotora defendeu a tese de que o crime foi premeditado para encobrir a atitude ilícita do cabo.

No julgamento, a promotora também expôs as versões divergentes do acusado e mostrou as perícias que mostravam que não havia possibilidade de tiro acidental como havia sido relatado pelo réu.

“Não havia qualquer ação do tenente Scheifer que justificasse que o acusado imaginasse que estava sob risco eminente, vendo que o tenente estava com a arma para baixo, posição sul, posição de descanso. A conduta de Jacinto de atirar nele não tinha nenhuma justificativa a não ser o dolo de matar”, afirma.

 

Vitória Gomes

Folhama

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Notícias Relacionadas

Geral

O piloto de Motocross Weliton Carvalho Da Silva, de 32 anos, morreu após sofrer um acidente na tarde deste domingo (26)  quando participava da...

Geral

O estudante Gabriel Bueno de Arruda de apenas 08 anos, morreu após ser atropelado na manhã desta quarta-feira ema Garantã do Norte. Vítima tinha...

Judiciário

Denunciados pelo Ministério Público do Estado de Mato Grosso por dois roubos, latrocínio, associação criminosa e corrupção de menores, Emanuel Ribeiro Borges de Lima,...

Judiciário

Dois dos 3 acusados de matar, atear fogo e sumir com corpo de membro do Comando Vermelho, em Sinop (500 km ao Norte de...

Endereço: Rua Ema Klunk, 274 - Jardim Safira - Sinop/MT CEP:78.551-366 CNPJ: 37.095.341/0001-06 Razão Social: M. L. JORDAN LTDA Nome Fantasia: Site Só Informação