Polícia

PF mira esquema de tráfico internacional em MT e mais 4 estados

Mato Grosso está na lista de Estados alvos das operações Turfe e Brutium, deflagradas pela Polícia Federal, nesta terça-feira (15). As ações visam desarticular organizações criminosas voltadas ao tráfico internacional de drogas a lavagem de dinheiro.

As operações são coordenadas pela Polícia Federal do Rio de Janeiro.

Os alvos em Mato Grosso estão situados na Operação Turfe. Foram expedidos 20 mandados de prisão e 30 de busca e apreensão pela 5ª Vara Federal Criminal, nos estados do Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Mato Grosso.

Também foram expedidas medidas de cooperação policial no Paraguai, Espanha e Emirados Árabes (Dubai).

As investigações da PF, realizadas durante 18 meses, apontam para a existência de um grupo responsável pela aquisição de drogas em países produtores, como Bolívia e Colômbia, a internalização do entorpecente, a logística de transporte e armazenamento em território nacional e ainda a exportação dos produtos ilícitos ao mercado europeu.

Ao todo foram apreendidas, ao longo da investigação, mais de 8 toneladas de cocaína, tanto no Brasil, quanto na Europa – destino final do entorpecente. Além disso, mais de R$ 11 milhões foram tomados dos criminosos, ainda na fase sigilosa, antes da deflagração.

No campo internacional, com a participação do DEA (Drug Enforcement Administration) e da Europol, as autoridades brasileiras e estrangeiras atuaram em cooperação, otimizando resultados alcançados contra o grupo criminoso.

O nome da operação faz referência a uma das formas de lavagem de capitais da organização criminosa que é a aquisição e negociação de cavalos de corrida.

Outra operação

No âmbito da operação Brutium, os policiais federais cumprem 19 mandados de prisão e 17 de busca e apreensão judiciais, expedidos pela 10ª Vara Federal Criminal, nos estados do Rio de Janeiro, Santa Catarina e São Paulo.

A investigação, iniciada há dois anos, tem por objetivo combater o tráfico internacional de cocaína perpetrado por integrantes de organização criminosa internacional, que se aliaram às duas maiores facções brasileiras para enviar cocaína oriunda da Bolívia e Peru para diversos países na Europa.

O trabalho investigativo, que contou com a colaboração das forças de segurança da França, Marrocos, Bélgica, Espanha, além da agência antidrogas americana, o DEA (Drug Enforcement Administration), revelou a ação de membros de um grupo criminoso atuante na América Central e Europa em território nacional, e resultou na apreensão de mais de 2 toneladas de cocaína no Brasil, na Europa e na África, e de R$ 3,5 milhões.

O nome da operação faz referência a integrantes da organização criminosa No Limit Soldiers, originária de Curaçao, no Caribe, e com ramificações em outros países da América Central e na Holanda, composta, em sua maioria, por traficantes de drogas.

Ao todo, nas duas operações, as ações são realizadas por cerca de 200 policiais federais, além de membros do MPF e auditores fiscais, participam das duas operações em que são cumpridos, ao todo, 86 mandados judiciais, expedidos pela 5ª e 10ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro.

 

DAVI VITTORAZZI

Midia News

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Notícias Relacionadas

Meio Ambiente

Começa nesta sexta-feira (1º.07) o período proibitivo do fogo em Mato Grosso, que segue vigente até o dia 30 de outubro. Fica proibido o...

Polícia

Vinte e três ordens judiciais relacionadas a investigações de tráfico de drogas e associação para o tráfico em penitenciárias da região metropolitana são cumpridas...

Geral

O calendário de plantio de soja em Mato Grosso será de 16 de setembro de 2022 a 03 de fevereiro de 2023, conforme a...

Polícia

A Operação Ráquis, deflagrada na manhã desta quarta-feira (29.06) pela Polícia Civil de Mato Grosso cumpre mandados judiciais de prisão e de busca e...

Endereço: Rua Ema Klunk, 274 - Jardim Safira - Sinop/MT CEP:78.551-366 CNPJ: 37.095.341/0001-06 Razão Social: M. L. JORDAN LTDA Nome Fantasia: Site Só Informação

Sair da versão mobile