Geral

Policiais penais entram em greve e suspendem visitas em presídios de MT

Foto Gazeta Digital

Os policiais penais de Mato Grosso decidiram, na tarde desta quarta-feira (15), iniciar a greve após a categoria recusar a proposta de aumento salarial do governo do Estado. Com isso, as visitas para os presos ficaram suspensas por tempo indeterminado em todas as penitenciárias.

No fim da tarde desta terça-feira (15), o presidente do Sindicato dos Servidores Penitenciários do Estado de Mato Grosso (Sindspen, Amaury Benedito Paixão, se reuniu com o secretário-chefe da Casa Civil, Mauro Carvalho, para discutir sobre o reajuste.

Durante as negociações, o governo propôs 15% de aumento aos servidores. No entanto, o acordo foi recusado pela categoria, que aponta que a porcentagem é “insignificante” diante dos reajustes que foram não concedidos ao longo dos últimos 9 anos.

“Nós estivemos na Casa Civil, mas a categoria deliberou pela greve uma vez que a proposta foi insignificante diante da defasagem salarial que a gente está sofrendo. Existem uma série de fatores, mas o nosso salário já tem cerca de 9 anos sem ser corrigido. Para reparar o que perdemos, isso geraria uma porcentagem de 80% dentro da tabela que a gente já tem”, disse ao GD

A categoria apresentou ao governo uma proposta de aumento de salários para os diferentes níveis e classes da carreira. Com a negativa da gestão, os policiais penais não ficaram satisfeitos e decidiram ameaçar a greve. “Se a gente pegar a Polícia Judiciária Civil e comparar com o nosso é possível ver a defasagem que a gente tem. Nós gostaríamos que esse número melhorasse. Toda a proposta que está sendo ofertada na mesa a gente está levando para categoria deliberar. No entanto, esse percentual ofertado pelo Estado não condiz com a nossa realidade”, complementou.

Sem visitas

Com a deflagração da greve, serão suspensos os serviços sociais e de escolta, visitas, atendimento aos advogados e todas as atividades externas. Segundo o presidente do Sindspen, só serão mantidos as ativadas essenciais para manter a segurança e o funcionamento do presídios. “Todas as atividades não essenciais ficarão suspensas enquanto não houver um acordo com o governo”, disse.

Embate
Na última semana, o governador Mauro Mendes (DEM) criticou a postura dos policiais penais ao comentar sobre o indicativo de greve, que já havia sido anunciado pelos servidores. Em entrevista à imprensa no Palácio Paiaguás, o chefe do Executivo alertou que pretende acionar o Judiciário caso a decisão seja mantida.

“Eu sou um cara que procuro aplicar a legislação vigente. A greve já possui enormes pronunciamentos jurídicos do Supremo Tribunal Federal a respeito. Então tenha a certeza que o Estado de Mato Grosso vai aplicar aquilo que já existe em decisão em todos os tribunais”, disse Mendes na última quinta-feira (9).

Por Alolan Mesquita

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Notícias Relacionadas

Geral

Mato Grosso teve quatro apostas ganhadoras no sorteio da Mega-Sena, na noite dessa quinta-feira (30). As jogadas premiadas foram feitas em Cuiabá, Sorriso, Nova...

Meio Ambiente

Começa nesta sexta-feira (1º.07) o período proibitivo do fogo em Mato Grosso, que segue vigente até o dia 30 de outubro. Fica proibido o...

Geral

O calendário de plantio de soja em Mato Grosso será de 16 de setembro de 2022 a 03 de fevereiro de 2023, conforme a...

Polícia

Duas armas de fogo foram apreendidas pela Polícia Civil nesta terça-feira (28), em Lucas do Rio Verde, durante cumprimento de mandado judicial em uma...

Endereço: Rua Ema Klunk, 274 - Jardim Safira - Sinop/MT CEP:78.551-366 CNPJ: 37.095.341/0001-06 Razão Social: M. L. JORDAN LTDA Nome Fantasia: Site Só Informação

Sair da versão mobile