Mato Grosso, Quarta-Feira, 22 de Setembro de 2021
Logo Só Informação
Informe Publicitário
PLEITOS SUPLEMENTARES

Eleitores de três municípios de MT escolhem novos prefeitos e vices em pleitos suplementares

Serão escolhidos prefeitos de Acorizal, Matupá e Torixoréu

Da Redação

28/07/2021 às 11:10

Eleitores de três municípios de MT escolhem novos prefeitos e vices em pleitos suplementares
reprodução

Para que sejam realizadas as eleições suplementares, os Tribunais Regionais Eleitorais devem elaborar e aprovar as instruções para cada localidade. A escolha da data deve obedecer à regra do primeiro domingo de cada mês, prevista no artigo 1º da Resolução nº 23.280/2010, aprovada pelo Plenário do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Os eleitores de Acorizal irão às urnas para escolherem um novo Gestor. Para o cargo, concorrem Benna Lemes (DEM), da coligação “Trabalho Confirmado”; e Diego Taques (PSD), da aliança “Acorizal nas mãos de quem faz”.

Em Matupá, as eleições suplementares serão entre três candidatos: Bruno Mena (DEM), da coligação“Matupá é do povo”; Geraldo Gezoni (PSB), da aliança “Por uma Matupá de todos”; e Marinilde (MDB), da “Matupá em mãos limpas, em respeito a você”.

Na cidade de Torixoréu, por sua vez, concorrem Jonnes Saggin (PL), da coligação “Unidos pela transformação”; e Thiago Timo (PSB), da aliança “Torixoréu no rumo certo”.

Teste

Para confirmar a segurança do pleito, será realizado o teste de integridade das urnas eletrônicas utilizadas pelos eleitores.

O teste acontece no mesmo dia das eleições, por meio de um sistema informatizado de captação e contabilização de votos, demonstrando o funcionamento e a integridade das urnas.

O mecanismo de auditoria por meio de amostragem é adotado pelos Tribunais Regionais Eleitorais em todo o país, com a participação de representantes de partidos políticos, da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e do Ministério Público, entre outras instituições.

O mecanismo de auditoria por meio de amostragem é adotado pelos Tribunais Regionais Eleitorais em todo o país, com a participação de representantes de partidos políticos, da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e do Ministério Público, entre outras instituições.

 

 

Por Arthur Santos da Silva