Mato Grosso, Segunda-Feira, 25 de Janeiro de 2021
Logo Só Informação
Informe Publicitário
EXPORTAÇÃO DE COCAÍNA

Polícia Federal deflagra operação internacional contra tráfico e lavagem de dinheiro; MT e mais 9 es

Ao todo, são 215 ordens judiciais sendo cumpridas em 10 estados brasileiros

Da Redação

23/11/2020 às 10:28

Polícia Federal deflagra operação internacional contra tráfico e lavagem de dinheiro; MT e mais 9 es
Reprodução

Polícia Federal deflagrou na manhã desta segunda-feira (23), a Operação Enterprise, considerada pela corporação a maior operação do ano, que visa combater o tráfico de drogas e lavagem de dinheiro. Ao todo, são 215 ordens judiciais sendo cumpridas em 10 estados brasileiros, entre eles, Mato Grosso. Investigação aponta que a organização criminosa traficava para a Europa por meio dos portos brasileiros.

De acordo com as informações da Polícia Federal de Curitiba, responsável pela operação, são 670 agentes da PF nas ruas do país, além de 30 servidores da Receita Federal, cumprindo 149 mandados de busca e 66 de prisão.

Todos foram expedidos pela 14º Vara Federal de Curitiba. Além de Mato Grosso e Paraná, diligencias ocorrem em Santa Cataria, São Paulo, Mato Grosso do Sul, Pará, Minas Gerais, Rio Grande do Norte, Bahia e Pernambuco.

A operação resultou ainda na apreensão de cocaína nos portos brasileiros, já que a quadrilha é especializada no tráfico internacional de drogas, especialmente por enviar a droga para a Europa.

Além disso, foi determinado o sequestro de R$ 400 milhões de bens do narcotráfico, o maior sequestro patrimonial do ano, resultando em apreensão de aviões, imóveis e carros de luxos. Todos os bens serão listados no final da operação.

Investigação

A operação começou durante a apreensão de 50 toneladas de drogas nos portos do Brasil, Europa e África. Para isso, foi necessária uma integração da Polícia e Receita Federal. As investigações apontaram que organização criminosa é uma das maiores em atuação no país.

No esquema, os membros da quadrilha ainda praticavam a lavagem de bens e dinheiro, no valor multimilionário, no Brasil e em outros países do exterior, usando “laranjas” e empresas falsas. O objetivo era dar ‘aparência lícita’ ao tráfico de drogas.

Interpol também está cooperando com as autoridades brasileiras, ajudando na identificação e sequestro de bens fora do país. Não há informações sobre prisões em Mato Grosso. Coletiva de imprensa acontecerá às 9h – horário de MT – em Curitiba.

Nome da operação

O nome da operação faz alusão à dimensão da organização criminosa investigada, que atua como um grande empreendimento internacional na lavagem de dinheiro e exportação de cocaína, o que trouxe alto grau de complexidade à investigação policial