Mato Grosso, Terça-Feira, 7 de Julho de 2020
Logo Só Informação
Informe Publicitário
16 VOTOS SIM E CINCO CONTRÁRIOS

Deputados derrubam veto e garantem auxílio emergencial para interinos

Presidente Botelho fez ampla defesa para garantir recursos aos professores e demais trabalhadores

Da Redação

22/06/2020 às 17:09

Deputados derrubam veto e garantem auxílio emergencial para interinos
reprodução

Com 16 votos sim e cinco contrários, os deputado derrubaram o Veto 45/2020, do governo do estado, aposto ao projeto de lei 365/20 que estabelece provimento de renda mínima para professores interinos de Mato Grosso. A votação ocorreu nesta segunda-feira (22), em sessão ordinária, com encaminhamento pela derrubada do veto feita pelo presidente da Assembleia Legislativa, deputado Eduardo Botelho (DEM), que defendeu condições de trabalho para pequenos produtores e demais categorias.

Botelho cobrou do governo medidas enérgicas que ajudem esses trabalhadores a superar o momento de crise intensificado pela pandemia da Covid-19. Disse que a proposta foi amplamente debatida, dando tempo de o governo apresentar uma proposta, mas sem êxito. 

“Tentamos de todas as formas o acordo. Retiramos de pauta porque o deputado Dilmar disse que viria uma proposta do governo e ficamos aguardando. Pensamos num voucher para esses professores, que fosse de R$ 600. Ora, é legal dar voucher de R$ 600 para ambulante que perdeu o emprego? É legal, o Congresso aprovou. É legal dar para quem está sem renda? É legal. E por que não ser legal dar uma ajuda para os professores que têm contribuído para o estado? Se esse projeto está em andamento, se esse veto está sendo discutido aqui agora é porque não vem nenhuma proposta do governo, porque tentativa fizemos”, questionou Botelho.

Ressaltou que não é a favor de criar despesas para o estado, que precisa ser enxuto e necessita da Reforma da Previdência. Mas, precisa mudar.  “Minha fala vai ao meu amigo, meu colega, companheiro, meu correligionário governador Mauro Mendes. O governo precisa começar a olhar pelos pequenos nesse momento. As pessoas que dependem do estado, que estão perdendo emprego, como os da agricultura familiar que estão passando necessidades porque as feiras não estão funcionando. Precisam ter uma mão do estado!”, afirmou, ao lembrar a época em que foi professor e sabe as dificuldades que a categoria enfrenta. 

“Será que o estado não pode nesse momento apresentar uma proposta para eles? Começar a trabalhar e criar uma estrutura através da Desenvolve MT para atender os pequenos que vão perder as condições de funcionar? Daqui a pouco precisa voltar a economia e essas pessoas como vão ficar? Não têm como repor estoques para trabalhar. O estado precisa começar a entender que tem que fazer obras. Tem que ser enxuto. Mas, nesse momento, precisa dar a mão do governo para as pessoas sobreviverem, para continuarem trabalhando e rendendo para o estado”, finalizou.