Estado investirá R$ 14 milhões no plano de enfrentamento à hanseníase

0
282

hansebiaseMato Grosso investirá R$ 14 milhões para os próximos quatro anos no Plano de Enfrentamento à Hanseníase, doença que coloca o estado em primeiro lugar na detecção de novos casos. O esforço do governo estadual é para intensificar as ações de controle da doença, reduzindo vários indicadores preocupantes, entre eles a tendência de queda nos casos de cura – em 2014 chegou a 81%, quando o esperado era de 90%. 

Para reforçar essa estratégia de enfrentamento e reforçar compromisso das três esferas da administração pública, a Secretaria de Estado de Saúde (SES) assinou um termo de compromisso com representantes de 40 municípios mato-grossenses durante solenidade nesta segunda-feira (24.08), em Cuiabá, com a presença do governador Pedro Taques e do ministro da Saúde, Arthur Chioro. 

O coeficiente de prevalência de hanseníase no Brasil vem sofrendo redução progressiva nos últimos anos caminhando para atingir a meta de eliminação de um caso para 10 mil habitantes. De forma inversa, Mato Grosso apresenta tendência de aumento com 13,6 casos para cada 10 mil habitantes em 2014, o que demonstra a prevalência da doença no estado. Na detecção de novos casos, quase 10% foram registrados em Mato Grosso. O diagnóstico tardio também é um problema importante, em 2014 quase 75% dos casos foram classificados como multibacilares (casos mais graves e de maior transmissibilidade). 

Para transformar esses índices e melhorar a vigilância e assistência á saúde, o governo propôs esse compromisso com os municípios a fim de alcançar melhores indicadores de detecção precoce, maior proporção de cura e menor número de incapacidades. “Somente com a importante parceria com os municípios conseguiremos trabalhar para erradicar a doença”, reforçou o secretário de Estado de Saúde, Marcos Bertúlio, solicitando empenho das secretarias municipais no enfrentamento à doença. 

O plano estruturado pela equipe da Secretaria de Saúde de Mato Grosso elenca os principais desafios, estratégias e as responsabilidades de cada esfera de governo para o efetivo enfrentamento da hanseníase. Entre os indicadores atuais e metas pactuadas estão o aumento no coeficiente de detecção, atualmente em 93,3% para cada 100 mil habitantes, para 98% em 2016, até alcançar 103% no ano de 2019. O percentual de cura hoje é de 81% e o plano estabelece aumentar em torno de 3% esse número no próximo ano, chegando a 90,9% em 2019. 

Vigilância e controle 

A hanseníase é uma doença infecciosa, transmissível e de evolução crônica. Entretanto, é totalmente curável e tão logo seja iniciado o tratamento deixa de ser transmissível. Por outro lado, quando diagnosticada e tratada tardiamente pode trazer graves consequências para os portadores e familiares, pelas lesões que os incapacitam fisicamente. Tais lesões podem ser evitadas ou reduzidas, se os portadores de hanseníase forem diagnosticados e tratados precocemente com adequado acompanhamento nos serviços de saúde. 

O secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Antônio Carlos Nardi, ressaltou a rapidez e agilidade em tirar do papel o projeto de combate à hanseníase. “Hoje temos mais de 40 prefeitos neste evento, isso não é pouca coisa. Mostra o compromisso do Estado, reforçando a preocupação com a assistência, a busca ativa e o fortalecimento da saúde básica”, disse. 

O ministro da Saúde lembrou que desde o primeiro contato, o governador Pedro Taques se prontificou a trabalhar pela erradicação da doença no Estado. Chioro lembrou que o Brasil assumiu o compromisso de trabalhar pela erradicação da doença, que por muito tempo foi negligenciada. 

“Nós vamos conseguir erradicar a hanseníase neste ano. Para isso, vamos contar também com a ajuda das escolas para identificar quem são as pessoas com a doença”, disse o ministro, frisando ainda que o Brasil precisa alcançar o tratamento de 90% da população com hanseníase, como já acontece com portadores do vírus HIV e a tuberculose. “Tenho certeza de que Mato Grosso alcançará resultados efetivos e atingiremos a meta pactuada com a Organização Mundial da Saúde. Esse compromisso assumido é que vai permitir que possamos eliminar a hanseníase”, comentou. 

O governador Pedro Taques reafirmou aos prefeitos e secretários de Saúde dos municípios presentes o compromisso em mudar o cenário da hanseníase em Mato Grosso e pediu empenho de todos. “Mato Grosso nos orgulha em todos os sentidos, mas nesse indicador da hanseníase estamos a desejar”, afirmou. “Prefeitos, eu assumi o compromisso de combater a hanseníase em Mato Grosso e não podemos perder a vergonha de nos indignarmos e buscarmos vencer esses números”. 

Taques assegurou ainda que as ações de enfrentamento à hanseníase serão avaliadas e acompanhadas pelo observatório de gestão governamental como forma de aferir os indicadores e cumprimento das metas por região no estado. “Essa é uma ação conjunta que somente terá efeito com a mobilização de vários entes”, lembrou o governador. 

Fonte Assessoria

Comentários