"O PSDB é o melhor caminho não só para mim, mas para o momento que o Brasil vive’, diz Taques

taques-e-mauro-mendes-12(5)O governador Pedro Taques afirmou que decidiu se filiar ao PSDB após discutir as possibilidades com aliados, e concluir que a sigla tucana seria o melhor caminho para sua carreira política. Taques considera, ainda, que a o PSDB é a melhor opção em função do momento político que o Brasil vive, em referência à crise política e econômica que enfrenta o governo da presidente Dilma Rousseff (PT).

“Nosso grupo político entendeu que é o melhor caminho não só para mim, pois eu sou passageiro, mas para o momento que o Brasil vive”, declarou Taques à rádio Capital, na manhã desta quarta-feira, 19,  em entrevista após o anúncio da filiação feito pelo presidente nacional do PSDB, o senador Aécio Neves (MG), na tribuna do Senado, na tarde de terça-feira (18). “Eu entro no novo partido como um soldado para lutar pelo Brasil e pelo estado de Mato Grosso”, afirmou o governador.

A decisão de Taques provocou elogios dos novos correligionários também pela coragem em assumir a ida para um partido de oposição ao Governo Federal, depois de passar mais de cinco anos no PDT, partido que sempre foi aliado do governo Dilma. O senador José Serra (PSDB-SP) lembrou, também na tribuna, que não é comum governadores se afastarem do Governo Federal e se filiarem a partidos de oposição. Taques comunicou sua desfiliação da sigla trabalhista em carta ao diretório municipal de Cuiabá na semana passada.

“O Brasil chegou num grau de democracia e maturidade nas suas instituições políticas, que eu não vejo que um estado da qualidade de Mato Grosso, que sustenta a balança comercial, possa ser prejudicado por um governador mudar de partido. Eu mudei de partido, mas não mudei meus valores e meus princípios, que sempre defendi na minha vida como procurador da República, senador e agora governador”, respondeu o mato-grossense, que garantiu não ter nada a reclamar do PDT.

No entanto, a filiação de Pedro Taques ao PSDB foi apenas uma oficialização de sua postura política, já que no Senado ele sempre atuou como oposição, e costumava votar alinhado à bancada tucana. Durante todo esse tempo, ele defendeu o rompimento do PDT com Dilma, e a entrega do Ministério do Trabalho.

Ao justificar a ida para o ninho tucano, Pedro Taques também destacou o tamanho do PSDB – hoje o maior partido de oposição do país – e a história da sigla. “A ideia é que Mato Grosso tenha representatividade nacional, porque o estado ajuda muito o Brasil, e o Brasil precisa ajudar Mato Grosso. E num partido do tamanho do PSDB, com a história do PSDB, podemos caminhar outras trilhas, vamos chamar assim”, disse.

As outras trilhas a que o governador se refere poderiam ser projetos nacionais, como uma candidatura a presidente ou vice-presidente da República. O ato de filiação de Pedro Taques ao PSDB está agendado para o dia 29 de agosto, em Cuiabá, com a presença de líderes tucanos nacionais, de outros estados e do interior de Mato Grosso.

Fonte OlharDireto

Comentários