Mauro comunica DEM que disputa Governo; define coordenador e busca PRB, PDT e PSD

O ex-prefeito de Cuiabá, Mauro Mendes (DEM), já praticamente definiu que será candidato ao Governo de Mato Grosso neste ano. A revelação é do ex-governador Júlio Campos, secretário-geral do DEM em Mato Grosso.

Sem alarde, Mauro já iniciou as conversações para a formção dos coordenadores da campanha. “Praticamente está garantido. Tem vários apoiadores e até coordenador-geral. O ex-prefeito de Lucas do Rio Verde, Otaviano Pivetta, que coordenou a campanha vitoriosa de Pedro Taques em 2014, já se colocou a disposição” , colocou o ex-governador em entrevista ao Jornal do Meio Dia (TV Vila Real).

Segundo Campos, numa reunião na última semana, o ex-prefeito informou que está a disposição da legenda para discutir as eleições. Inclusive, já manteve conversas com marqueteiros do estado de Goiás. “Ele disse que está pronto para a luta e pronto para disputar tanto é que na última semana já conversou com algumas pessoas da área de marketing, pedindo ponto propostas”, relatou Campos.

O ex-governador colocou também que Mauro vai dialogar com outros partidos políticos sobre eventuais composições. “Já reunimos com o PRB, na presença do deputado Sachetti. Já conversamos com outros partidos e hoje vamos ter uma reunião com o PDT, do deputado Zeca Viana”, contou ao acrescentar que o grupo ainda buscará ter o apoio do ex-vice-governador Carlos Fávaro (PSD).

Júlio Campos disse ainda que Mauro já obteve o aval de sua família para realizar a pré-campanha ao Palácio Paiaguas. “Está liberado para ser candidato e pronto para enfrentar qualquer candidato. Essa questão doméstica já está superada. A família já entendeu que ele não pode perder esta oportunidade em que o povo quer ele como candidato”, garantiu.

DATA LIMITE

Nos bastidores, lideranças do DEM cobram uma posição pública de Mauro Mendes a respeito da pré-candidatura ao Governo do Estado. Eles querem que até 30 de abril, o ex-prefeito comunique a população se será, ou não, candidato ao poder executivo.

O receio das lideranças do DEM é que a demora por uma definição atrase os planos do partido para formar alianças. Isso porque, eventuais adversários, como o senador Wellington Fagundes (PR) e o próprio governador Pedro Taques (PSDB) tem se movimentado a fim de aglutinar partidos.

Além disso, existe o receio do DEM da se “repetir o filme” de 2016. Na ocasião, Mauro comunicou no final do prazo para as convenções que não iria disputar a reeleição  a prefeitura de Cuiabá.

 

 

Fonte Ilidio Luciano

Comentários