PC cumpre 25 mandados contra servidores e empresários na “Operação Pérfido”

Nove mandados de prisão preventiva, 9 buscas e apreensão e sete mandados de conduções coercitivas são cumpridos, na manhã desta quarta-feira pela  Polícia Judiciária Civil na “Operação Pérfido”, deflagrada pela Delegacia Especializada em Crimes Fazendários e Contra a Administração Pública (Defaz). A investigação da Defaz apura esquema de corrupção, concussão, sonegação de impostos e outros crimes praticados por uma organização criminosa constituída por servidores municipais, que em conluio com os empresários várzea-grandenses, provocaram grande prejuízo ao município de Várzea Grande.

Estima-se que cerca de R$ 60 milhões foram desviados nas gestões dos ex-prefeitos Murilo Domingos, Tião da Zaeli e Wallace Guimarães (PMDB). A denúncia de fraudes foi feita pela atual prefeita Lucimar Campos (DEM) após auditoria no sistema de tributos da cidade.

Os membros da organização criminosa são servidores públicos e particulares que burlavam o sistema de banco de dados de gestão tributária para reduzir, dar baixa ou cancelar indevidamente créditos tributários, frustrando a arrecadação do município de Várzea Grande, em benefício dos próprios servidores municipais e contribuintes. Outros detalhes da operação não poderão ser divulgados em razão de sigilo de justiça, decretado pelo Poder Judiciário.

As ordens judiciais são do juiz Abel Balbino Guimarães, da 4ª Vara Criminal de Várzea Grande. Participam da operação 80 policiais civis, entre delegados, investigadores e escrivães lotados em Delegacias da Diretoria de Atividades Especiais.

NOME DA OPERAÇÃO

Pérfido –  adjetivo na língua portuguesa, utilizado para qualificar alguém como desleal, infiel ou traiçoeiro.

 

Fonte Folhamax

Comentários