Pedro Taques afirma que não há crise com Judiciário

0
48

O governador Pedro Taques (PSDB) afirmou que não há crise institucional entre o Executivo Estadual e o Poder Judiciário por causa das investigações sobre as escutas telefônicas clandestinas que levou à prisão alguns membros de seu staff. O tucano disse que aguarda agora a conclusão da investigações.

Na última quarta-feira (11) o Superior Tribunal de Justiça (STJ) acolheu pedido feito pelo governador e retirou do desembargador Orlando de Almeida Perri, do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT), a responsabilidade pelos inquéritos policiais e procedimentos que investigam o esquema conhecido como “barriga de aluguel”.

“Eu não tenho crise com o Judiciário, todo dia converso com o presidente Rui Ramos tratando de situações institucionais. Quanto ao Perri eu protocolei o pedido no STJ e eles deferiram. Não é uma vitória é o cumprimento da lei”, disse o governador na manhã desta segunda-feira (16).

Perri expediu os 8 mandados de prisão preventiva e 16 de busca e apreensão cumpridos na Operação Esdras da Polícia Civil no dia 27 de setembro. Entre os alvos estavam 2 secretários de Estado que ainda integravam o staff de Pedro Taques e outros 2 ex-secretários que já tinham sido exonerados dos cargos em virtude de acusações de envolvimento no esquema das escutas clandestinas.

O afastamento de Jarbas do cargo de secretário, por determinação de Perri foi duramente criticado por Pedro Taques que classificou a decisão como “exdrúxula” e prometeu acionar o desembargador no Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

“Eu não trato mais disso, está judicializado, agora cabe ao poder Judiciário resolver e eu respeito as instituições”, ressaltou Taques.

 

 

Fonte Janaina Soares/ GD

Comentários