Jovem artista plástico de MT vai expor obras em Miami

0
176

Depois de expor suas obras de arte em várias partes do país e no exterior, o jovem artista plástico Petterson Silva, que mora em Rondonópolis, a 218 km de Cuiabá, se prepara para mostrar o trabalho dele em uma exposição em Miami, em junho.

O artista de 28 anos acabou de participar de um importante evento de arte. Entre os dias 6 e 9 deste mês participou do Festival Internacional SP-Arte 2017, em São Paulo.

Em Miami, seis obras dele ficarão expostas na Art Design Galery. “Estou focado nesse projeto agora, é um momento em que muitas portas estão se abrindo para a minha arte. Isso é um privilégio”, comemorou.

Jovem índia retratada na obra pertence à etnia Kalapango, da região do Xingu (Foto: Petterson Silva/ Arquivo pessoal)

Segundo ele, o evento em São Paulo foi como uma porta se abrindo para oportunidades no mundo da arte. “O evento estava sempre cheio, foram mais de 159 galeristas. Destes, 40 eram estrangeiros. Foi um privilégio ter as personalidades da área contemplando as minhas telas”, contou.

Artista começou a pintar aos 10 anos (Foto: Petterson Silva/ Arquivo pessoal)

A técnica realista predomina nas telas do artistas plástico. A temática é focada na biodiversidade e cultura índigena para expressar nas telas a “brasilidade”. Uma das obras escolhidas por ele para serem expostas nessa última exposição é “Cunha Poranga”, em que usou a técnica de óleo sobre tela.

A jovem índia retratada na obra pertence à etnia Kalapango, da região do Xingu. As aves são uma homenagem às espécies predominantes na Amazônia.

Obra mostra criança indígena com aves silvestres (Foto: Petterson Silva/ Arquivo pessoal)Obra mostra criança indígena com aves silvestres (Foto: Petterson Silva/ Arquivo pessoal)

Petterson começou a ter afinidade com a arte aos 10 anos, quando teve o primeiro contato com telas e pincéis de verdade. “Acredito que esse tipo de trabalho é um dom, um talento. Pode-se aprender por meio de cursos, mas é diferente quando se vê o trabalho de alguém que possui o dom da pintura”, avaliou.

Essa não será a primeira vez que Petterson também levará suas obras para fora do país. No ano passado, levou três obras para o evento realizado no Museu do Louvre, em Paris.

As telas também já foram expostas em Vichtenstein, na Suíça, onde Petterson recebeu o prêmio pelo 1º lugar no Salão de Arte Brasileira da cidade.

Fonte:g1

Comentários