Comércio de MT cresceu em novembro

As vendas do comércio varejista de Mato Grosso atingiram em novembro do ano passado crescimento de 14,20% em relação ao mesmo mês do ano anterior, o terceiro maior do país, no período, segundo dados divulgados ontem pelo IBGE por meio da Os dados relativos à Pesquisa Mensal do Comércio (PMC). Conforme a pesquisa, 23 das 27 unidades da federação fecharam o mês com saldo positivo.

Frente a novembro de 2016, os resultados das vendas no comércio varejista foram destaques, em termos de magnitude, para Santa Catarina (15,7%), Rio Grande do Sul (14,8%) e Mato Grosso (14,2%). Todos os resultados ficaram bem acima da média do país que foi de 5,90% no mesmo período anual de comparação.

Os dados, conforme economistas do IBGE, foram impulsionado pelas promoções como a Black Friday. No Centro-Oeste, Mato Grosso foi o estado com o melhor desempenho na comparação de novembro de 2017 ante novembro de 2016. Goiás, por exemplo, registrou queda de 9,90% e no Distrito Federal, -4,60%. Mato Grosso do Sul cresceu 0,80%.

O comércio mato-grossense registra alta de 3,90% no índice de volume de vendas, considerando o acumulado dos últimos 12 meses. Somente na passagem de outubro para novembro, o crescimento mensal do setor foi de 0,70%.

Em relação ao Índice de receita nominal de vendas no comércio varejista, os dados de Mato Grosso superam os resultados dos volumes de vendas. Na comparação anual, contra novembro de 2016, a receita nominal cresceu 15,70%, na avaliação mensal ante outubro, a expansão foi de 1,80% e no acumulado de 12 meses o crescimento, também positivo, é de 4,30%, percentuais que superam os também positivos índices relacionados ao desempenho das vendas.

Em relação ao país, o volume das vendas do comércio varejista do país cresceu 0,7% em novembro último, comparado a outubro, compensando a queda de 0,7% registrado em outubro. A expansão de 5,90% em novembro, foi a oitava taxa positiva seguida e a segunda maior registrada em 2017.

De acordo com a gerente da pesquisa, Isabella Nunes, as promoções pela internet se destacaram no penúltimo mês do ano. “O que observamos em novembro é que as atividades mais sensíveis às promoções de novembro – que têm o foco nas vendas pela internet – foram as que se destacaram. Isso mostra que a queda de outubro foi uma postergação de compras para novembro”, explicou.

Com o resultado de novembro, o volume de vendas do comércio fechou o acumulado de janeiro a novembro em 1,9%, e o acumulado dos últimos 12 meses em 1,1%, mantendo, desta forma, a trajetória ascendente iniciada em outubro de 2016, quando o setor havia fechado em queda de 6,8%.

MELHOR NOVEMBRO – O crescimento de 5,9% em novembro do ano passado, frente a novembro de 2016, foi o melhor resultado para os meses de novembro desde os 7,1% de 2013.

Para Isabella, esse resultado mostra que apesar das promoções de novembro estimularem as vendas do comércio, é necessário haver, também, uma conjuntura econômica adequada ao consumo. “Essas promoções [pela internet, como a Black Friday] ainda estão se firmando no Brasil, as últimas três edições foram as mais fortes, mas a conjuntura não favorecia as vendas”.

Segundo ela, “já em 2017, o poder de consumo aumentou em relação aos três anos anteriores, houve uma queda do desemprego, aumento da renda e redução da inflação, por exemplo. Não é à toa que esse novembro está em um ritmo mais forte”, destacou.

PARA 2018 – A Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) divulgou ontem uma estimativa onde aponta que o crescimento para o comércio varejista em 2017 deve ser de 3,9%. O percentual foi calculado com base em dados da Pesquisa Mensal de Comércio (PMC) de novembro, produzida pelo IBGE. (Com Agência Brasil).

 

 

 

Fonte – DiarioDeCuiabá

Comentários