Vereadora de Sinop diz que Taques é o pior governador da história para a saúde

0
412

A Vereadora Maria José da Saúde (PMDB), está preocupada com o possível fechamento do Hospital Regional de Saúde de Sinop, mas principalmente com o restos a pagar aos funcionários da instituição.

Segundo a vereadora do PMDB, além do crime que será fechar a unidade hospitalar existe um passivo junto aos funcionários que precisa ser tratado como prioridade e de forma urgente, afinal os colaboradores são pessoas que trabalharam e precisam receber seus salários.

“Eu lamento como vereadora tudo isso que está acontecendo, trabalho na área da saúde a muitos anos e sei o sofrimento da população por falta de atendimento e quantas pessoas já morreram por conta de um governador que parece não ter compaixão do sofrimento do povo. Enquanto vereadora e cidadã espero que este governador tenha a dignidade de pagar os funcionários que trabalharam para atender nossa população, e na sua maioria são pessoas simples que dedicaram suas vidas para salvar pessoas e agora com todo esta situação não sabem se vão receber e pior quando vão receber.” Disse Maria José.

Para Maria José da Saúde, o caos na saúde pública já está instaurado e mesmo que o atendimento volte o governo Pedro Taques estará marcado como o pior governador na história do Estado na saúde, já que é impossível resgatar as vidas que foram perdidas pela inércia do Estado.

“Mesmo que o governador consiga fazer funcionar a saúde do estado o que acho muito difícil, muitas mortes já aconteceram por falta de atendimento, mas já vimos pelas ações que saúde não é prioridade para o Governador então penso que para tristeza da nossa população este é o pior governo da história para saúde de Mato Grosso”. Finalizou a vereadora Maria José da Saúde.

A Organização de Saúde Santo Antônio já comunicou a Secretaria Estadual de Saúde que entregará o Hospital Regional de Sinop no último dia do mês de novembro, com isso ou o Estado assume o Hospital Regional ou o atendimento da unidade será interrompido definitivamente no dia 01 de Dezembro de 2017.

Da redação.

Comentários