Polícia Civil prende suspeito de matar pedreiro a tiros em pesqueiro de Sorriso

A Polícia Civil prendeu nesta segunda-feira (14) Pedro Júnior Costa da Silva, 37 anos, principal suspeito de assassinar a tiros o pedreiro José Pereira Cabral, 59 anos, no último sábado (12)
Nilson Farias, Delegado responsável pelo caso, disse em entrevista, que duas pessoas foram detidas. A primeira acabou sendo liberada da suspeita, pois não apresentava indícios de ter cometido o crime. Já o segundo suspeito, Pedro Júnior, vulgo “Pedro Maranhão”, confessou o crime após ser interrogado pelo Delegado.
Pedro Maranhão foi preso em sua casa onde foi localizada uma espingarda calibre 36 e também o registro de um revólver calibre 22 mesmo calibre da arma utilizada na execução de José. Porém, o revólver não foi localizado.
Segundo o Delegado, o suspeito tentou negar o crime e disse que havia vendido a arma para um morador do estado do Pará. Após o delegado pedir exame residográfico das mãos para verificar se havia indícios de pólvora, Pedro Maranhão acabou confessando o homicídio.
Em seu depoimento, o suspeito disse que anos atrás havia sido ameaçado por José e que quando se encontravam a vítima o olhava de cara feia. O desentendimento entre eles, segundo Maranhão, ocorreu por conta de uma “ceva de peixes”. José não queria que Maranhão utilizasse a ceva, pois o mesmo não fazia manutenção do local, o que o incomodava.
No sábado, o suspeito conta que chegou ao local armado, em sua motocicleta, encontrou José e disparou sem nem mesmo conversar com a vítima. Ao todo, ele efetuou quatro disparos sendo dois no peito e os outros dois nas costas, quando José tentou correr.
Pedro Maranhão foi indiciado por homicídio qualificado com motivo fútil e também por traição de emboscada, que não deixou defesa nenhuma para a vítima.
Fonte Marissa Gribler

Comentários