Menino perdido no milharal é encontrado vivo

0
129

Um menino de 2 anos e 8 meses ficou perdido, vagando a noite toda em um milharal em Matupá (695 Km ao Norte), desde às 18 horas de ontem (18) até as 6 horas da manhã desta sexta-feira (19), quando foi encontrado com vida.

A família de Daniel, de pequenos produtores rurais, é descendente de sulistas e mora em uma casa de madeira, tradicional nas cidades do Sul, no sítio Águas Claras, comunidade de Santa Luzia, Linha da Fartura, extremo Norte de Mato Grosso, região amazônica.

Já estava anoitecendo, quando a mãe de Daniel, Leila Raznievski, 28, que está grávida de 2 meses, chamou por ele e o filho não respondeu. “Isso não é comum, meu filho é um menino muito bonzinho, carinhoso, eu chamo e ele vem e às vezes até sem chamar ele chega, me abraça”, narra a mãe, ainda muito emocionada e cansada com o susto.

Ela não dormiu à noite. Nem ela, nem o pai do menino, amigos, moradores das redondezas e a equipe da Polícia Militar que, mediante o sumiço, saíram em mutirão atrás do garoto.

“Com lanternas, celular, gritavam o nome dele e ele não respondia. Andou muito, foi para longe e se perdeu, é uma lavoura grande”, detalha o comandante da PM em Matupá, tenente Herbi Rodrigues.

A locutora da Rádio Interativa na cidade também se envolveu com a causa. “Acabei de dar a notícia boa no ar sobre o aparecimento de Daniel”, comemora Claudia Godinho. “Foi muita comoção na cidade, as pessoas rezando, fazendo correntes de oração no sítio, foi muita gente para lá, para tentar ajudar”, relata.

Quando amanheceu o dia, o Corpo de Bombeiros da cidade vizinha, Colíder, chegou. Dentro de 1 hora, achou a criança para alívio de todos. Daniel estava todo sujo de barro, deitado no chão, cansado, debilitado e chorando.

Após muita emoção, abraços na mãe e no pai, a criança foi encaminhada ao Hospital Municipal de Matupá, onde passou por consulta médica. Mas não está ferido e fisicamente passa bem. Apenas sujo de terra. “Está cansado e emocionalmente ficou abalado”, comentou a mãe por telefone, após a consulta, com o filho já dormindo no colo em casa. “Graças a Deus, foi só um susto”.

 

 

Fonte Folhamax

Comentários