Segmento agropecuário lidera ranking de geração de empregos no Estado e no país

0
99

O setor agropecuário liderou a geração de empregos em Mato Grosso e no Brasil entre janeiro e junho. Nacionalmente, o saldo de empregos da agropecuária no primeiro semestre ficou positivo em 117 mil vagas, o que representa o melhor resultado desde 2012, quando ao final de junho o país estava com um saldo positivo de 135,4 mil vagas.

No mês passado, os melhores setores foram o de cultivo de café (10,8 mil), concetrado em Minas Gerais; atividades de apoio à agricultura (10,6 mil) e cultivo de laranja (+7,4 mil), ambos concentrados em São Paulo e cultivo de soja (+2,4 mil), concentrado em Mato Grosso.

Em todos os recortes temporais feitos pelo Caged o ramo da agropecuária é o que apresenta o melhor saldo em Mato Grosso. Em 2017,  foram 44,3 mil contratações e 38,1 mil demissões no Estado, o que gerou um saldo positivo de 6,2 mil vagas, o melhor entre os oito setores avaliados.

No mês passado, especificamente, foram 7,7 mil contratações e 5,1 mil demissões (+2,6 mil). Já se levarmos em consideração o período de doze meses, entre junho do ano passado e junho de 2017, o resultado é positivo em 4 mil vagas, já que houveram no período 79,7 mil contratações e 75,7 mil demissões.

Os dados constam no Cadastro Geral de Empregos e Desempregados (Caged) e foram divulgados na semana passada pelo ministério do Trabalho e Emprego (MTE). Os dados de junho para Mato Grosso foram o melhor para o mês  desde 2014.

Importância

O presidente da Associação dos Criadores de Mato Grosso (Acrimat), Marco Túlio Duarte Soares, disse  que os números demonstram a pujança do setor e a importância da agricultura e da pecuária para o país.

“O agronegócio é o propulsor do Brasil. Essa questão nos contenta muito porque quando as pessoas estão empregadas, ela voltar a consumir. Então quanto mais gente com ocupação, mais dinheiro circulando. Então acaba sendo um negócio que impacta não somente o campo, mas também a indústria, comércio e etc”, argumentou.

O diretor de Relações Institucionais da Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso (Famato), José Luiz Fidelis, atribuiu o cenário positivo em Mato Grosso ao comprometimento dos produtores rurais com o setor agropecuário e com economia do Estado.

“A pecuária mato-grossense é extremamente importante para a economia de Mato Grosso. O comprometimento dos produtores, mesmo diante da crise instalada na pecuária, por exemplo, com a operação Carne Fraca, o caso JBS e outros fatores que comprometeram o setor, a agropecuária se manteve equilibrada, garantindo rendimento e sustentabilidade na produção e geração de emprego e renda no país”, disse Fidelis. (Com Assessoria)

 

 

Fonte Marcos Palmeira

Comentários