Impactos ambientais e econômicos da Ferrogrão serão analisados em seminário na Câmara

A Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável discute nesta terça-feira (24) os desafios para a sustentabilidade da construção da ferrovia Ferrogrão. Ferrovia será construída entre os municípios de Sinop (MT) e Itaituba (PA), incluindo trecho localizado no interior do Parque Nacional do Jamanxim.

A construção da ferrovia ainda está em fase inicial de estudos de viabilidade técnica, econômica e ambiental.

O seminário foi sugerido pelo deputado Nilto Tatto (PT-SP). “É importante reconhecer que a construção da Ferrogrão, ao estimular fortemente atividades agropecuárias, madeireiras e minerais de grande escala em nível regional, traz oportunidades socioeconômicas, e ao mesmo tempo, significativos riscos em termos de impactos socioambientais”, afirma o parlamentar.

Tatto ressalta que a BR-163, que liga Cuiabá (MT) a Santarém (PA), é um dos maiores eixos de desmatamento em toda a Amazônia. “Desde o asfaltamento da BR-163, aumentou o desmatamento nas suas margens em até 500%”, lamenta.

O parlamentar teme que o Parque do Jamanxim seja “comido” pelo efeito de borda reduzindo a capacidade de proteção da unidade de conservação. “Resta evidente que as novas obras de infraestrutura que fazem parte da PPI [Programa de Parcerias de Investimentos] têm no licenciamento ambiental delas a elo principal para a sua execução”, afirma Tatto lembrando que a Ferrogrão faz parte do programa.

Participação popular

Os interessados poderão participar do debate enviando perguntas, críticas e sugestões por meio do portal e-Democracia. Clique no banner abaixo e participe.

O seminário será realizado durante todo o dia no plenário 2. Veja a programação aqui.

 

 

Fonte Camara Federal

Comentários